quarta-feira, 25 de novembro de 2009

tantas são as vezes (sem intenção)

Tantas vezes que erro, sem dar conta, sem intensão.
As vezes e os erros multiplicam-se, instala-se a confunsão.
Não consigo geri-la. Ou simplesmente aceitá-la.
Dentro de mim, a minha mente não pensa, não sente e quando fala
é como se continuadamente repetisse, a palavra « erraste».
Peço desculpa, tenho medo do que dizer
porque o receio das palavras incertas e a inoportunidade do momento
que parece corroer o meu corpo, a minha mente, a sensibilidade.

O desiquilibrio. A derrota. O momento sem glória.
No entanto, e tantas são as vezes, que estes tantos erros, que sem intenção.
Escrevem uma história.

1 comentário:

Teresa disse...

Quem não erra...
Intenção...
Como te entendo.
Muito lindo.